Área do Aluno

Ano Apostólico de Ezequias

09/01/2018

A Igreja Renascer em Cristo, em parceria com a Hebrom Turismo, levou centenas de pessoas para Israel.
  Arqueólogos israelenses descobriram uma marca do selo do rei bíblico Ezequias, que ajudou a transformar Jerusalém em uma metrópole na antiguidade.
 
A inscrição circular em uma peça de argila de menos de um centímetro de comprimento pode muito bem ter sido feita pelo próprio rei, disse Eilat Mazar, da Universidade Hebraica de Jerusalém, que dirigiu a escavação onde a peça foi encontrada.
 
Ezequias reinou aproximadamente no ano 700 a.C. e foi descrito na Bíblia como um monarca ousado –“... de modo que não houve ninguém semelhante a ele, entre todos os reis de Judá, nem antes nem depois dele” (2 Reis, 18:5)– e que se dedicou a eliminar a idolatria em seu reino.
 
“Essa é a primeira vez que a impressão de um selo de um rei israelita ou da Judéia veio à luz em uma escavação arqueológica científica”, afirmou Mazar.
 
A impressão na argila, conhecida como bula, foi descoberta junto ao pé da parte sul de um muro que cerca a Cidade Velha de Jerusalém, uma região rica em relíquias do período do primeiro dos dois templos judeus antigos.
 
O artefato estava enterrado em uma área de descarte de dejetos que remonta aos tempos de Ezequias, e provavelmente foi atirado de um edifício real adjacente, segundo Mazar, contendo escritos em hebreu antigo e o símbolo de um sol com duas asas.
 
A bula foi catalogada inicialmente e armazenada, juntamente com 33 outras, após uma primeira inspeção que não conseguiu detectar sua verdadeira identidade.
 
Só cinco anos mais tarde, quando um membro da equipe a examinou sob uma lupa e discerniu pontos entre algumas letras, é que seu significado ficou claro.
 
Os pontos ajudam a separar as palavras “Pertencente a Ezequias (filho de) Acaz, rei de Judá”.
 
Mazar afirmou que a parte de trás da impressão na argila tem sinais de barbantes finos que eram usados para amarrar papiros.
 
“Sempre surge a pergunta ‘quais são os fatos reais por trás das histórias bíblicas?'”, disse. “Aqui temos a chance de chegar tão perto quanto possível da própria pessoa, do próprio rei”.
 
 
Fonte: Reuters 
Nos próximos dias, Apóstolo Estevam Hernandes e Bispa Sonia Hernandes conduzirão os participantes em uma jornada emocionante pela Terra Santa.
 
Além de passar por cidades que marcaram a história do evangelho, o grupo participará da 5ª edição da Marcha para Jesus de Israel.
 
Na manhã da terça-feira (17), o grupo foi ministrado pelo líder da Igreja Renascer em Cristo no Monte Carmelo, montanha situada na costa de Israel, com vista para o Mar Mediterrâneo. O seu nome, “Karmel”, significa "jardim" ou "campo fértil".
 
Trata-se do local onde ocorreu a batalha espiritual entre o profeta Elias e os profetas de Baal, conforme está escrito em 1 Reis 18.
 
“Elias foi chamado como profeta em um momento de extrema crise. Israel estava sob o reinado de Acaba, que casou como uma mulher perversa, chamada Jezabel”, contextualizou.
 
“Jezabel trouxe para Israel um culto a uma entidade chamada Baal. Ela obrigava os profetas a renegarem sua fé e a servi-lo. Infelizmente, muitos se corromperam. Outros preferiram se esconder. Precisamos ter consciência de que, diariamente, enfrentaremos conflitos espirituais! Evangelho não é acomodação, é de confrontação. Estamos aqui para confrontar as obras do inferno”, afirmou.
 
“Elias, com sua intrepidez, levanta-se contra aquela situação e desafia os profetas de Baal para uma batalha espiritual, e essa batalha ocorreu aqui, no Monte Carmelo”, disse.
 
Clique no link a seguir para assistir a ministração na íntegra:
 
 
Redação iGospel

 

< mais notícias